vegetais

INTRODUÇÃO

 
 

os vegetais

 vegetais inferiores



Alga Vermelha Coralina

Rodofíceas – algas vermelhas

São organismos pluricelulares, que possuem formas macroscópicas e sua maior parte são vivem no mar, e apenas uma espécie tem o seu habitat em água doce.

A reprodução pode ser sexuada ou assexuada, apresentando metagênese.

A sua cor avermelhada é devido a um pigmento predominante que ela possui denominada ficoeritrina.

Produzem uma mucilagem chamada carragem que é usada na produção de sorvetes e doces. Outra mucilagem, que chamamos de ágar, também é oferecida pelas algas vermelhas, e é usada na produção de substâncias medicinais como laxantes

vegetais intermediarios

Vegetais intermediários

Os vegetais intermediários foram divididos em dois grupos: briófitas e pteridófitas.

As briófitas compreendem os musgos, hepáticas e antóceros. E as pteridófitas abrangem samambaias, avencas, selaginelas, licopódios e cavalinhas.

Todos estes vegetais não produzem flores nem frutos, e dependem de água para se reproduzirem.

Os órgãos reprodutores destes seres são tão minúsculos, que só podem ser vistos com o uso do microscópio. Os arquegônios são os órgãos femininos e os anterídios são os órgãos masculinos. Eles são conhecidos como criptógamas.

O ciclo reprodutor apresenta uma alternância de gerações (metagênese), onde a
meiose age como intermediária.

O ciclo da metagênese ocorre em dois períodos: sexuada e assexuada.

Na reprodução sexuada, são formados os
gametas que se reproduzem gerando um zigoto. Este zigoto divide-se pela mitose formando um esporófito, que por sua vez, é reproduzido assexuadamente, dando origem aos esporos.

Cada esporo formado é dividido através da mitose, formando um novo ser denominado gametófito.
Os gametófitos se reproduzem sexuadamente, originando novos gametas, que iniciarão um novo ciclo.

Na metagênese há uma fase haplóide e outra diplóide, que são alternadas. Na fase diplóide o esporófito se reproduz assexuadamente, e na fase haplóide o gametófito se reproduz sexuadamente.


Ciclo metagenético de briófita:


As angiospermas conquistaram o meio terrestre, são os vegetais mais adaptados a este ambiente, e constituem um grupo de muito diversificado.

São caracterizadas pela produção de frutos, por isso que é o grupo de vegetais mais utilizados na alimentação do homem.

Geralmente são autótrofas e realizam a
fotossíntese, e não dependem de água para a fecundação.

O órgão reprodutor das angiospermas é a
flor. O esporofilo tem uma estrutura organizada em raiz, caule, folhas e produz as flores, sementes e frutos.

Os gametófitos são simples e dependentes dos esporofilos, se desenvolvem dentro da flor e são dióicos.
A produção de anterídios e arquegônios é ausente nestes vegetais.

raiz

A raiz é o órgão da planta que tipicamente se encontra abaixo da superfície do solo. Tem duas funções principais: servir como meio de fixação ao solo e como órgão absorvente de água, compostos nitrogenados e outras substâncias minerais como potássio e fósforo (matéria bruta ou inorgânica). Quase sempre subterrânea. Há, no entanto, plantas dotadas de raízes especiais, como as figueiras com as suas raízes aéreas, e as plantas epífitas.

folhas

Em botânica, as folhas são órgãos das plantas especializados em captação de luz e trocas gasosas com a atmosfera para realizar a fotossíntese e respiração. Salvo raras excepções, associadas a plantas de climas áridos, as folhas tendem a maximizar a superfície em relação ao volume, de modo a aumentar tanto a área da planta exposta à luz, quanto a área da planta onde as trocas gasosas são possíveis por estar exposta à atmosfera.

Espécies diferentes de plantas têm folhas diferentes, e existem vários tipos especializados de folhas, com fins diferentes dos das folhas comuns, como por exemplo as pétalas das flores.

caule

 caule o órgão condutor de seivas (tanto seiva bruta como seiva elaborada) e sustenta a copa das árvores. Possui gemas (apical e axilar) de onde brotam os nós, ramos, folhas e flores. Há o meristema, tecido responsável pelo crescimento do caule

frutas

Em termos botânicos, o fruto é uma estrutura presente em todas as angiospermas onde as sementes são protegidas enquanto amadurecem. De forma prática, os frutos são quaisquer estruturas das Angiospermas que contém sementes.

Os frutos derivam-se do ovário das flores. Após a fecundação dos óvulos em seu interior, o ovário inicia um crescimento, acompanhado de uma modificação de seus tecidos provocada pela influência de hormônios vegetais, que interferem na estrutura, consistência, cores e sabores, dando origem ao fruto

flores

A flor é a estrutura reprodutora característica das plantas denominadas espermatófitas ou fanerogâmicas. A função de uma flor é a de produzir sementes através da reprodução sexuada. Para as plantas, as sementes representam a próxima geração e servem como o principal meio através do qual as espécies se perpetuam e se propagam.

Todas as espermatófitas possuem flores que produzirão sementes, mas a organização interna da flor é muito diferente nos dois principais grupos de espermatófitas: gimnospérmicas e angiospérmicas.

sementes

Semente é o óvulo maduro e já fecundado das plantas gimnospermas ou angiospermas. É formada por:

Sua importância está relacionada às formas mais primitivas de reprodução e dispersão e é atestada pelo sucesso destes dois grupos das plantas em dominar a paisagem


 
 
Aventura na Web criada por lucas queiroz com